O que é morar bem? Se pedíssemos para uma pessoa do início do século, ela diria que morar bem era ter uma casa formal e fechada. No período pós-guerras, no entanto, a idéia de casa ideal era uma moradia aberta à natureza, com amplas janelas, onde houvesse liberdade. Nos anos 90 e 2000, as relações humanas mais superficiais tornaram a relação com a casa menos profunda, e o pensamento de que não é preciso fixar raízes se fortaleceu. As casas reduziram seu tamanho e viraram dormitórios, afinal “o mundo é a minha casa”. Mas 2020 chegou e, com ele, a pandemia. O mundo parou, as pessoas precisaram ficar em casa e o conceito de morar bem, mais uma vez, mudou: a casa voltou a se tornar o centro de nossas vidas.

A cozinha virou restaurante, a sala virou escritório, o quarto (e todo o resto da casa) viraram playground... os novos hábitos impactaram diretamente em nossos lares, ressignificando o uso dos ambientes. Muito mais que “ter espaço”, precisamos de espaços multifuncionais, que possibilitem praticidade e qualidade nas atividades cotidianas. Se antes a preocupação era receber convidados, agora o foco é o conforto da própria família, com a utilização de materiais de simples manutenção e limpeza, por exemplo.

Neste contexto, é fundamental destinar um espaço adequado para o home-office, e para o estudo on-line das crianças, com total ergonomia, para que as atividades não ultrapassem seus horários e invadam o descanso, prejudicando a qualidade de vida. E, para isso, o mobiliário adequado faz toda a diferença. Mesmo se a casa ou apartamento for pequeno, um mobiliário milimetricamente planejado e com usos múltiplos vai permitir adaptações aos diversos momentos da casa e da família, facilitando a rotina. Além disso, a madeira traz aconchego e, no caso do MDF da Dalmóbile, possui ação antimicrobiana, que facilita a higienização.